Avançar para o conteúdo principal

Voltar aos desenhos

Uma folha branca e um lápis novo podem ser intimidadores! E sem estar a fazer paralelismo. Para alguém que gosta de desenhar, quer melhorar, treinar... A primeira fase da folha branca, do lápis novo, tudo tão bonito e direitinho, pode ser intimidador. É como se não pudéssemos estragar o papel... olhando para o papel perfeito, passando a mão naquela textura fantástica, sentimos que temos a obrigação de fazer algo perfeito. E que qualquer coisa que lá vamos "desenhar" vai sair cheio de defeitos. Naturalmente que a maioria saíra com defeito...

A primeira estratégia é a de não usar papel caro/bom. É fazer os desenhos na primeira folha que se encontre e pronto. Eu cá gosto de fazer desenhos em qualquer lado. Mas quando decidi comprar material de desenho e tentar mesmo, não consegui avançar com a ideia de fazer os trabalhos em folhas soltas. Mesmo sendo maus, sou uma menina de cadernos. Adoro cadernos!

Daí a descoberta do Art Journal. Um "diário" de trabalhos e desenhos, onde fazemos o que queremos, porque não é para ninguém ver... é o nosso diário... de art. Gostei do conceito, experimentei montes de materiais novos a custa disso e tenho dois Art Journals avançados, um com "trabalhos" outro com "restos". Basicamente o meu art journal de restos é FANTÁSTICO. Sobra tinta? Abre uma pagina ao calhas e toca a meter para lá, sobra gesso, mete lá, sobra algum recorte, papel ou carimbo, tudo para lá... É mesmo libertador, sentir que não desperdiçamos nada, mas ao mesmo tempo experimentamos coisas novas.

Como estava numa fase de menos desenhos, e mais mix media, e como o que eu gosto mesmo é de pegar no lápis/caneta tinha de arranjar outra maneira.

Descobri então as tintas de spray, conheço duas marcas: Dylusions ink (são as que eu uso) da Ranger e os sprays Distress Spray.

E com isto criei um novo art journal que anda comigo para todo o lado. Primeiro faço os fundos! À sorte, ao gosto, consonante a inspiração. Com água, ou sem água, com moldes/stencils ou sem eles e deixo-os secar.
E este passo ajudou-me imenso em depois desenhar sem me preocupar com a "perfeição". Afinal a folha já não está branca! Está toda imperfeita com tinta ao acaso... e os resultados tem sido fantásticos... não em termos de qualidade, vá eu sou realista. Mas em termos de sensação. Sinto-me liberta... ando com o caderno sempre atrás de mim e rabisco, rabisco e rabisco.... Há coisas horríveis, há outras que me deixam satisfeitas e basicamente, é isso que interessa. Deixar-me Feliz. Encontrei um "happy place" neste ano difícil!

Alguns resultados aqui:
Follow Marcelina's board Sketch and Draws on Pinterest.

P.S. Os sketch são todos rapidos e feitos entre jogos de LOL que tambem ajuda bastante a relaxar.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Home Sweet Home - Candeeiros

Com uma casa maior, vão faltar candeeiros. E por cá não queremos as lâmpadas penduradas, é algo que ambos detestamos ver... prefiro comprar uns mais baratos e ter candeeiros em todo o lado. Para já temos de pensar em candeeiros na cozinha e 2 para os quartos dos miúdos.

Para a cozinha vamos precisar de 2, um sobre a mesa e outro na zona das duas bancas.

Em vez dos tradicionais lâmpadas fluorescentes, que tem a vantagem de iluminar bastante e serem económicas (mas tambem pouco interessantes):


Estamos a pensar usar algo assim:





Todos do IKEA e variam entre os 9,99€ e os 35€. Branco e bege deverão ser as melhores opções para a minha cozinha... O de inox parece-me pequeno e o mais caro não me parece justificar a diferença.
A duvida é se darão luz suficiente, principalmente na area das bancas, o candeeiro direccionado sobre a mesa, de certeza que não será um problema.

No quarto dos miudos, nem temos duvidas:

 4,99€ ou 14,99€. Vamos optar pelos de 4,99 sem duvida, brancos, simples, óptimos a …

Artesanato - A Feiticeira

A feira de artesanato de Vila do Conde está a decorrer e como sempre, não pude deixar de ir. Todos os anos dou um passeio por lá e vejo milhentas coisas que me apetece trazer para casa. Compro normalmente um presépio, um diabo de Barcelos e muitas vezes algo que me salta a vista na altura.


E este ano foi igual... Um presépio, um diabo de Barcelos, um prato para fazer de fruteira, um porta-lapis de pele e um fantoche!
É o fantoche que eu venho cá mostrar. Eu adoro fantoches para brincar e contar histórias ao Gustavo. E ele também fica faxinado com eles. Mas quando vi estes... bem! Fujam!
A loja chama-se: Artesanato A feiticiera.
São lindos e todos em pano, perfeitos em termos de execução, tem muitas versões, muitas histórias, bem adorei. Tive de trazer um!
Havia duas versões, um fantoche tradicional de "meter a mão". E a outra versão, mais complexa, tem uma personagem de um lado e virando "a saia" tem a outra personagem. As duas personagens completam uma história.

Ne…

Pirografia Projecto 2

Como a primeira caixa ficou engraçada e eu gostei muito de a fazer, o marido pediu logo uma para ele. Então, ontem, enquanto via o "Suits", comecei o novo trabalho de pirografia.






 Bem mais simples do que parece. O pirografo foi cerca de 12€ no lidl e a madeira pode ser qualquer uma. Claro que quanto melhor a madeira mais uniforme o trabalho. Algum cuidado porque está quente e depois é só deixar a imaginação fazer o resto.