Avançar para o conteúdo principal

Voltar aos desenhos

Uma folha branca e um lápis novo podem ser intimidadores! E sem estar a fazer paralelismo. Para alguém que gosta de desenhar, quer melhorar, treinar... A primeira fase da folha branca, do lápis novo, tudo tão bonito e direitinho, pode ser intimidador. É como se não pudéssemos estragar o papel... olhando para o papel perfeito, passando a mão naquela textura fantástica, sentimos que temos a obrigação de fazer algo perfeito. E que qualquer coisa que lá vamos "desenhar" vai sair cheio de defeitos. Naturalmente que a maioria saíra com defeito...

A primeira estratégia é a de não usar papel caro/bom. É fazer os desenhos na primeira folha que se encontre e pronto. Eu cá gosto de fazer desenhos em qualquer lado. Mas quando decidi comprar material de desenho e tentar mesmo, não consegui avançar com a ideia de fazer os trabalhos em folhas soltas. Mesmo sendo maus, sou uma menina de cadernos. Adoro cadernos!

Daí a descoberta do Art Journal. Um "diário" de trabalhos e desenhos, onde fazemos o que queremos, porque não é para ninguém ver... é o nosso diário... de art. Gostei do conceito, experimentei montes de materiais novos a custa disso e tenho dois Art Journals avançados, um com "trabalhos" outro com "restos". Basicamente o meu art journal de restos é FANTÁSTICO. Sobra tinta? Abre uma pagina ao calhas e toca a meter para lá, sobra gesso, mete lá, sobra algum recorte, papel ou carimbo, tudo para lá... É mesmo libertador, sentir que não desperdiçamos nada, mas ao mesmo tempo experimentamos coisas novas.

Como estava numa fase de menos desenhos, e mais mix media, e como o que eu gosto mesmo é de pegar no lápis/caneta tinha de arranjar outra maneira.

Descobri então as tintas de spray, conheço duas marcas: Dylusions ink (são as que eu uso) da Ranger e os sprays Distress Spray.

E com isto criei um novo art journal que anda comigo para todo o lado. Primeiro faço os fundos! À sorte, ao gosto, consonante a inspiração. Com água, ou sem água, com moldes/stencils ou sem eles e deixo-os secar.
E este passo ajudou-me imenso em depois desenhar sem me preocupar com a "perfeição". Afinal a folha já não está branca! Está toda imperfeita com tinta ao acaso... e os resultados tem sido fantásticos... não em termos de qualidade, vá eu sou realista. Mas em termos de sensação. Sinto-me liberta... ando com o caderno sempre atrás de mim e rabisco, rabisco e rabisco.... Há coisas horríveis, há outras que me deixam satisfeitas e basicamente, é isso que interessa. Deixar-me Feliz. Encontrei um "happy place" neste ano difícil!

Alguns resultados aqui:
Follow Marcelina's board Sketch and Draws on Pinterest.

P.S. Os sketch são todos rapidos e feitos entre jogos de LOL que tambem ajuda bastante a relaxar.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Colecção Máquinas - Listagem

Como as vezes preciso de saber os modelos específicos das máquinas que temos, é melhor organizar uma lista.
[LISTA EM CONSTRUÇÃO]
Bencini Comet S1950s, italianafilm 127Link Interessante Ensign Ful-Vue Ful-Vue Super Fed 5 [FOTO]Kodak Retinette 1A (Prontor 250S) Nikon FM - (SN: 3331273)Lente: Nikon Lens Serie E - 28 mm 1:2.8[FOTO]Olimpus OM40[FOTO]Pentax K1000Lente Miranda 50mm 1:2 Smena 8M Zorki - 4K

Art Journal

Um dos desafios que lancei para 2014 foi a criação de um Art Journal para desenhar, anotar ideias, experimentar novas técnicas e materiais. Escolhi dois cadernos de capa preta e folha grossa, de tamanhos diferentes e lá fui experimentando.

Mas surgiram-me várias dificuldades. E conclui que não tinha escolhido os cadernos certos.

As folhas destes cadernos deverão ser mais grossas do que as que eu escolhi, apontemos pelo menos para mais de 120gr. Folhas finas fazem com as tintas passem de uma página para a outra, contaminando os trabalhos. O tipo de papel terá de se adequar ao tipo de projectos, materiais e gostos pessoais. Se quiserem fazer projectos de grafite, necessitam de um papel muito diferente do que se fosse para usar aguarelas. É também importante se o caderno é colado, cozido ou de argolas, etc. A parte do meio, no caso de um dos meus cadernos, impede que o projecto ocupe as duas páginas, pois não o consigo espalmar. Se gostarem de páginas individuais, poderão usar de argolas,…

Montessori - actividades em casa

Não há melhor maneira de entreter os pequenos do que os por a ajudar nas tarefas em casa. Pelo menos numa primeira fase. A verdade é, que os pequenos gostam de nos imitar, gostam de fazer tudo o que nos veem fazer.
Devemos por isso deixa-los "ajudar" e participar nas pequenas tarefas de casa. Ajudam no desenvolvimento dele e ajudam a criar rotinas, para que no futuro não estranhem ajudar nas tarefas caseiras.

Vi esta tabela de tarefas divididas por idades e achei que era optima para partilhar aqui. Mudaria algumas tarefas de coluna, mas no geral gostei.




Encontrei a tabela na página: Diirce.com.br