Avançar para o conteúdo principal

Quarto Montessoriano ou Método Montessori para bebes.

A Pedagogia Montessoriana ou Método Montessori foi desenvolvida por volta de 1907, por Maria Montessori, primeira mulher da Itália diplomada em medicina. Além de médica, Maria Montessori era educadora e seu método propunha a criação de um ambiente de aprendizado mais criativo. Seu trabalho enfatiza a importância de se criar um ambiente adequado para o desenvolvimento da criança, capaz de permitir a livre expressão de suas capacidades. Em um ambiente rico e estimulante, a criança torna-se capaz de aprender sozinha por meio de suas próprias experiências, desenvolvendo-se de forma espontânea, criativa e saudável.

Assim que me falaram desta ideia e me mostraram os exemplos e como montar um quarto Monterssori fiquei logo a adorar. Adorei o facto de tudo estar ali ao dispor da criança e quanto mais leio e pesquiso mais a ideia me convence. Uns poderão achar modernices, coisa de hippie, mas a mim parece-me natural e intuitivo. O quarto é "montado" em função da criança, disponibilizando os brinquedos a criança de maneira a que esta escolha o que fazer/brincar. Terá de haver algum cuidado ao planear um quarto assim, moveis bem fixos apra não cairem em cima da criança, chão com tapetes, moveis sem esquinas afiadas a pensar nas cabeças, não usar portas ou gavetas perigosas... Mas se tivermos cuidado nas escolhas dos moveis, acho que pode ficar um encanto...


Como montar um quarto seguindo o método Montessori:

- Em vez do tradicional berço, optar por um colchão no chão, ou uma cama muito baixa para os bebes que já andam melhor.

- Espelhos a altura da criança. Será necessário fixar muito bem os espelhos à parede ou optar por espelhos autocolantes. Os espelhos devem estar a altura das crianças, mas não apresentarem perigo para os mesmos.

- Desenhos, quadros ou fotos na parede, a altura dos bebes. Mais uma vez os autocolantes de decoração para as paredes são opções baratas e eficazes.

- Prateleiras baixas, de forma a que o bebe possa aceder-lhes e pegar no brinquedo que desejar. Será preciso ter algum cuidado na escolha destes acessórios, como prateleiras e estantes, por causa das esquinas.

- Os brinquedos devem ficar sempre acessíveis e a mão da criança.

- Deverá haver um espaço livre para que a criança possa explorar os brinquedos usando a imaginação.

- Mobília para o tamanho da criança, mesa, cadeiras, etc.

- Barra na parede, para que a criança se possa agarrar na fase em que começa a andar.

- Recomendam o uso de grade na porta do quarto da criança, para que a porta possa estar aberta para poder ver e interagir com os pais.







Comentários

Mensagens populares deste blogue

Livros e Máquinas Fotográficas nunca são demais.

Prestes a fazer a mala para ir passar uma semaninha junto à praia a minha eterna duvida renasce, quanto livros levar na mala. Usualmente sou prática e despachada, sei as tarefas que me faltam realizar, qual a melhor ordem para elas, o que comprar, levar, etc. Mas quando falamos de malas, ui, ui.

Levo sempre coisas a mais. Acho sempre que pode dar jeito ou que vou precisar de mais aquela outra coisa. Gosto de levar portátil, cadernos, livros, máquinas fotográficas, enfim.

Desta vez como somos 5 a ir no carro, achei por bem limitar o número de malas por pessoa, o que é giro!

Então a dúvida que persiste, quantos livros levo para 6 dias? E máquinas fotográficas? Uma analógica, uma digital e uma lomo? e qual digital? A minha D5100? Não estou a ver! E qual analógica? Uma já testada de preferência para não ficar sem fotos de férias.
Pois!
Decisions, decisions!


Colecção Máquinas - Listagem

Como as vezes preciso de saber os modelos específicos das máquinas que temos, é melhor organizar uma lista.
[LISTA EM CONSTRUÇÃO]
Bencini Comet S1950s, italianafilm 127Link Interessante Ensign Ful-Vue Ful-Vue Super Fed 5 [FOTO]Kodak Retinette 1A (Prontor 250S) Nikon FM - (SN: 3331273)Lente: Nikon Lens Serie E - 28 mm 1:2.8[FOTO]Olimpus OM40[FOTO]Pentax K1000Lente Miranda 50mm 1:2 Smena 8M Zorki - 4K

Art Journal

Um dos desafios que lancei para 2014 foi a criação de um Art Journal para desenhar, anotar ideias, experimentar novas técnicas e materiais. Escolhi dois cadernos de capa preta e folha grossa, de tamanhos diferentes e lá fui experimentando.

Mas surgiram-me várias dificuldades. E conclui que não tinha escolhido os cadernos certos.

As folhas destes cadernos deverão ser mais grossas do que as que eu escolhi, apontemos pelo menos para mais de 120gr. Folhas finas fazem com as tintas passem de uma página para a outra, contaminando os trabalhos. O tipo de papel terá de se adequar ao tipo de projectos, materiais e gostos pessoais. Se quiserem fazer projectos de grafite, necessitam de um papel muito diferente do que se fosse para usar aguarelas. É também importante se o caderno é colado, cozido ou de argolas, etc. A parte do meio, no caso de um dos meus cadernos, impede que o projecto ocupe as duas páginas, pois não o consigo espalmar. Se gostarem de páginas individuais, poderão usar de argolas,…