Avançar para o conteúdo principal

Art Journal

Um dos desafios que lancei para 2014 foi a criação de um Art Journal para desenhar, anotar ideias, experimentar novas técnicas e materiais. Escolhi dois cadernos de capa preta e folha grossa, de tamanhos diferentes e lá fui experimentando.

Mas surgiram-me várias dificuldades. E conclui que não tinha escolhido os cadernos certos.

  • As folhas destes cadernos deverão ser mais grossas do que as que eu escolhi, apontemos pelo menos para mais de 120gr. Folhas finas fazem com as tintas passem de uma página para a outra, contaminando os trabalhos. 
  • O tipo de papel terá de se adequar ao tipo de projectos, materiais e gostos pessoais. Se quiserem fazer projectos de grafite, necessitam de um papel muito diferente do que se fosse para usar aguarelas. 
  • É também importante se o caderno é colado, cozido ou de argolas, etc. A parte do meio, no caso de um dos meus cadernos, impede que o projecto ocupe as duas páginas, pois não o consigo espalmar. Se gostarem de páginas individuais, poderão usar de argolas, por exemplo, para depois retirar do caderno os trabalhos que desejarem.
  • Depois o tamanho é mesmo muito importante. Estava a usar mais o caderno A4, mas, e aí será principalmente uma questão e gosto, ficamos com um trabalho final a ocupar um A3. Passei para o caderno A5. Mais fácil de transportar, consigo estruturar o resultado final melhor, gasto menos materiais, etc.
  • Por fim, materiais a usar. Deve-se usar sempre coisas que temos em casa, é a principal ideia dos Art Journal, explorar, experimentar. Mas existem materiais que começaram a sentir falta assim que começarem a usar tintas e materiais sobre as folhas:
    • Cola de papel (daquela branca), para colar duas páginas e ficarem mais grossas, ou fazer colagens. Jornal é porreiro para começar o fundo. Experimentem colas que tenham em casa, mas a branca foi a que deixou menos marcas, custou-me cerca de 2€ nos chineses.
    • Gesso! Isto para preparar as páginas para receber uma boa quantidade de tinta e também permite aproveitar as páginas onde tenha passado um pouco de tinta das outras páginas. Claro que se for para fazer desenhos a lápis ou aguarelas, não precisam de usar o gesso como base.
    • jornais e revistas. Sim, aproveitem para reciclar um pouco as quantidades enormes de papel que há por casa. Como já disse acima, jornal é excelente para o fundo, as páginas das revistas serão óptimas para evitar que o resto do caderno fique todo pintado. Uma página de cada lado e estamos prontos para começar.

Bem, estas foram as minhas descobertas, tendo em atenção aquilo que eu quero fazer e tenho experimentado... Alguém tem mais recomendações?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Livros e Máquinas Fotográficas nunca são demais.

Prestes a fazer a mala para ir passar uma semaninha junto à praia a minha eterna duvida renasce, quanto livros levar na mala. Usualmente sou prática e despachada, sei as tarefas que me faltam realizar, qual a melhor ordem para elas, o que comprar, levar, etc. Mas quando falamos de malas, ui, ui.

Levo sempre coisas a mais. Acho sempre que pode dar jeito ou que vou precisar de mais aquela outra coisa. Gosto de levar portátil, cadernos, livros, máquinas fotográficas, enfim.

Desta vez como somos 5 a ir no carro, achei por bem limitar o número de malas por pessoa, o que é giro!

Então a dúvida que persiste, quantos livros levo para 6 dias? E máquinas fotográficas? Uma analógica, uma digital e uma lomo? e qual digital? A minha D5100? Não estou a ver! E qual analógica? Uma já testada de preferência para não ficar sem fotos de férias.
Pois!
Decisions, decisions!


Colecção Máquinas - Listagem

Como as vezes preciso de saber os modelos específicos das máquinas que temos, é melhor organizar uma lista.
[LISTA EM CONSTRUÇÃO]
Bencini Comet S1950s, italianafilm 127Link Interessante Ensign Ful-Vue Ful-Vue Super Fed 5 [FOTO]Kodak Retinette 1A (Prontor 250S) Nikon FM - (SN: 3331273)Lente: Nikon Lens Serie E - 28 mm 1:2.8[FOTO]Olimpus OM40[FOTO]Pentax K1000Lente Miranda 50mm 1:2 Smena 8M Zorki - 4K