Avançar para o conteúdo principal

Art Journal

Um dos desafios que lancei para 2014 foi a criação de um Art Journal para desenhar, anotar ideias, experimentar novas técnicas e materiais. Escolhi dois cadernos de capa preta e folha grossa, de tamanhos diferentes e lá fui experimentando.

Mas surgiram-me várias dificuldades. E conclui que não tinha escolhido os cadernos certos.

  • As folhas destes cadernos deverão ser mais grossas do que as que eu escolhi, apontemos pelo menos para mais de 120gr. Folhas finas fazem com as tintas passem de uma página para a outra, contaminando os trabalhos. 
  • O tipo de papel terá de se adequar ao tipo de projectos, materiais e gostos pessoais. Se quiserem fazer projectos de grafite, necessitam de um papel muito diferente do que se fosse para usar aguarelas. 
  • É também importante se o caderno é colado, cozido ou de argolas, etc. A parte do meio, no caso de um dos meus cadernos, impede que o projecto ocupe as duas páginas, pois não o consigo espalmar. Se gostarem de páginas individuais, poderão usar de argolas, por exemplo, para depois retirar do caderno os trabalhos que desejarem.
  • Depois o tamanho é mesmo muito importante. Estava a usar mais o caderno A4, mas, e aí será principalmente uma questão e gosto, ficamos com um trabalho final a ocupar um A3. Passei para o caderno A5. Mais fácil de transportar, consigo estruturar o resultado final melhor, gasto menos materiais, etc.
  • Por fim, materiais a usar. Deve-se usar sempre coisas que temos em casa, é a principal ideia dos Art Journal, explorar, experimentar. Mas existem materiais que começaram a sentir falta assim que começarem a usar tintas e materiais sobre as folhas:
    • Cola de papel (daquela branca), para colar duas páginas e ficarem mais grossas, ou fazer colagens. Jornal é porreiro para começar o fundo. Experimentem colas que tenham em casa, mas a branca foi a que deixou menos marcas, custou-me cerca de 2€ nos chineses.
    • Gesso! Isto para preparar as páginas para receber uma boa quantidade de tinta e também permite aproveitar as páginas onde tenha passado um pouco de tinta das outras páginas. Claro que se for para fazer desenhos a lápis ou aguarelas, não precisam de usar o gesso como base.
    • jornais e revistas. Sim, aproveitem para reciclar um pouco as quantidades enormes de papel que há por casa. Como já disse acima, jornal é excelente para o fundo, as páginas das revistas serão óptimas para evitar que o resto do caderno fique todo pintado. Uma página de cada lado e estamos prontos para começar.

Bem, estas foram as minhas descobertas, tendo em atenção aquilo que eu quero fazer e tenho experimentado... Alguém tem mais recomendações?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Home Sweet Home - Candeeiros

Com uma casa maior, vão faltar candeeiros. E por cá não queremos as lâmpadas penduradas, é algo que ambos detestamos ver... prefiro comprar uns mais baratos e ter candeeiros em todo o lado. Para já temos de pensar em candeeiros na cozinha e 2 para os quartos dos miúdos.

Para a cozinha vamos precisar de 2, um sobre a mesa e outro na zona das duas bancas.

Em vez dos tradicionais lâmpadas fluorescentes, que tem a vantagem de iluminar bastante e serem económicas (mas tambem pouco interessantes):


Estamos a pensar usar algo assim:





Todos do IKEA e variam entre os 9,99€ e os 35€. Branco e bege deverão ser as melhores opções para a minha cozinha... O de inox parece-me pequeno e o mais caro não me parece justificar a diferença.
A duvida é se darão luz suficiente, principalmente na area das bancas, o candeeiro direccionado sobre a mesa, de certeza que não será um problema.

No quarto dos miudos, nem temos duvidas:

 4,99€ ou 14,99€. Vamos optar pelos de 4,99 sem duvida, brancos, simples, óptimos a …

Artesanato - A Feiticeira

A feira de artesanato de Vila do Conde está a decorrer e como sempre, não pude deixar de ir. Todos os anos dou um passeio por lá e vejo milhentas coisas que me apetece trazer para casa. Compro normalmente um presépio, um diabo de Barcelos e muitas vezes algo que me salta a vista na altura.


E este ano foi igual... Um presépio, um diabo de Barcelos, um prato para fazer de fruteira, um porta-lapis de pele e um fantoche!
É o fantoche que eu venho cá mostrar. Eu adoro fantoches para brincar e contar histórias ao Gustavo. E ele também fica faxinado com eles. Mas quando vi estes... bem! Fujam!
A loja chama-se: Artesanato A feiticiera.
São lindos e todos em pano, perfeitos em termos de execução, tem muitas versões, muitas histórias, bem adorei. Tive de trazer um!
Havia duas versões, um fantoche tradicional de "meter a mão". E a outra versão, mais complexa, tem uma personagem de um lado e virando "a saia" tem a outra personagem. As duas personagens completam uma história.

Ne…

Pirografia Projecto 2

Como a primeira caixa ficou engraçada e eu gostei muito de a fazer, o marido pediu logo uma para ele. Então, ontem, enquanto via o "Suits", comecei o novo trabalho de pirografia.






 Bem mais simples do que parece. O pirografo foi cerca de 12€ no lidl e a madeira pode ser qualquer uma. Claro que quanto melhor a madeira mais uniforme o trabalho. Algum cuidado porque está quente e depois é só deixar a imaginação fazer o resto.