Avançar para o conteúdo principal

Praxe ou não Praxe


Li o artigo do Romeu Monteiro no P3, "Praxe: e dizer não?" e achei que era uma perspectiva interessante para partilhar por aqui. Toda a gente tem uma opinião sobre as praxes, uns porque estiveram lá e tiveram boas experiências, outros porque detestaram e ainda os terceiros, que vêem de longe e vão dando as suas opiniões como educando, familiares e amigos.

Posso dar a minha opinião de alguém que foi à praxe, gostou, fez amigos e teve uma boa experiência, nunca tive receios, medos ou fui intimidado. Posso também dizer que "praxei" uma vez e detestei. Detestei estar ali vestida de preto, com ar sério e carrancudo. Detestei e não voltei lá, para praxar. A diversão, sem sombra para dúvidas, esta do lado do caloiro. Agora, eu tive uma boa experiência, tive colegas divertidos que souberam fazer daquilo uma experiência engraçada.

Infelizmente conhecemos muitos casos em que tal não acontece e nesses casos o que é preciso fazer é dizer não. O artigo que referi acima fala exactamente disso.

«há pressão social, como em tudo na vida e também na Universidade. E, como em tudo na vida, é preciso saber dizer não quando algo cruza os nossos limites do aceitável. Em certos casos, é mesmo preciso saber usar a lei em nossa defesa.»

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Art Journal

Um dos desafios que lancei para 2014 foi a criação de um Art Journal para desenhar, anotar ideias, experimentar novas técnicas e materiais. Escolhi dois cadernos de capa preta e folha grossa, de tamanhos diferentes e lá fui experimentando.

Mas surgiram-me várias dificuldades. E conclui que não tinha escolhido os cadernos certos.

As folhas destes cadernos deverão ser mais grossas do que as que eu escolhi, apontemos pelo menos para mais de 120gr. Folhas finas fazem com as tintas passem de uma página para a outra, contaminando os trabalhos. O tipo de papel terá de se adequar ao tipo de projectos, materiais e gostos pessoais. Se quiserem fazer projectos de grafite, necessitam de um papel muito diferente do que se fosse para usar aguarelas. É também importante se o caderno é colado, cozido ou de argolas, etc. A parte do meio, no caso de um dos meus cadernos, impede que o projecto ocupe as duas páginas, pois não o consigo espalmar. Se gostarem de páginas individuais, poderão usar de argolas,…

2017 - Resoluções!

Nesta última semana do ano, tenho sempre vontade de fazer novas listas. As vezes é preciso olhar para trás, avaliar e pensar no que queremos melhorar...
As listas valem o que valem. Tenho várias e normalmente não as consigo terminar, mas gosto na mesma de tentar ver em que ponto estou.

Para 2017 tive um desafio da minha querida V. fez-me 12 propostas para o novo ano e para ser cumpridas juntas. Eu cá adorei a ideia.

Então o primeiro da lista que ela me deu foi logo:
 "Escrever uma lista com objectivos para o novo ano" Decidi já tratar disto! 12 objectivos para 2017 aqui ficam:
Emagrecer. Já tinha sido um objectivo de 2016 e a verdade é que até fui bem conseguida ate que tive de tratar da tiroide. Aí recuperei tudo. Por isso voltando a estaca zero, serão 14 kg que me esperam. Para o conseguir, serão as caminhadas diárias, (vá umas 5 por semana), cuidados na alimentação e continuar na endocrinologista. Pintar. Adorei a experiência do acrílico e quero continuar. Para já estou só …

Carving Block - carimbos

Este fim-de-semana decidi finalmente fazer os meus próprios carimbos, o que é como quem diz, usando linóleo ou borrachas e umas goivas, tentar esculpir  diferentes formas e desenhos para depois usar como carimbos. As possibilidades são inúmeras, desde pequenas formas, como corações e flores, a todo carimbos com texto e datas (atenção que terá de se inscrever na borracho ao contrário para depois sair direito no papel) para épocas comemorativas. Já tinha visto alguns trabalhos bastante interessantes em vários blogs (aqui e aqui) e decidi-me a arranjar umas goivas em condições e lá fui comprar o linóleo.

As goivas são a bom preço, entre 5€ e 8€ dependendo do número de assessórios.

Funcionam muito melhores que as dos chineses e são práticas.

O Linóleo é que é um absurdo de caro. Uma placa de 3 x 4 cm custou cerca de 3€. É uma placa pequena e tendo em atenção que o material é barato e usado para revestir o chão, terei de investigar onde arranjar a melhor preço.

Foi também curioso verificar…